Resíduos da Indústria Têxtil: Como reutilizar e lucrar

Com um faturamento de 51,58 bilhões de dólares no ano de 2017, a Cadeia Têxtil e de Confecção Brasileira é a mais completa do Ocidente, segundo a Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit). Esses dados mostram a importância e a relevância desse setor no Brasil. 

Consequentemente a isso, há uma grande formação de resíduos da Indústria Têxtil: os retalhos. 

Cerca de 170 mil toneladas são produzidas anualmente no Brasil e o descarte incorreto gera muitos danos ao meio ambiente. Diante disso, existem alternativas para o reaproveitamento e reutilização dos resíduos. São ações e medidas que você pode adotar na sua indústria, contribuindo para o desenvolvimento sustentável e, inclusive, obtendo lucro. 

Sabe que ações e medidas são essas? Esse texto contém informações importantes para que você entenda um pouco mais dessa vertente lucrativa e sustentável.

Os danos ambientais dos Resíduos da Indústria Têxtil

Resíduos referem-se a todo material derivado de sobra e resto de uma produção, que não possui mais utilidade após determinado processo e que, geralmente, são tratados como indesejáveis por muitas empresas. Diante disso, grandes problemas surgem quando esses resíduos são descartados de forma inadequada no meio ambiente.

Anualmente, toneladas de resíduos têm um destino incorreto e, com isso, causam diversos danos ambientais. A destinação para aterros sanitários, por exemplo, contribui para um acúmulo de resíduos e outros fatores consequentes a este. São eles: efeitos adversos sobre a água e seus ciclos, ocasionando mudanças climáticas indesejáveis; poluição química, afetando a biodiversidade; e contaminação por metais pesados. Além disso, métodos como a incineração são grandes poluidores do ar, uma vez que contribuem para o desenvolvimento de problemas respiratórios, como também para mudanças climáticas. Observando tais danos, é possível entender a importância da destinação adequada dos resíduos sólidos. 

De forma a prevenir esses impactos ambientais e incentivar a reutilização e reciclagem dos resíduos, foi criada a Política Nacional de Resíduos Sólidos. É uma lei com a finalidade de que geradores de resíduos se conscientizem quanto à busca da maneira correta de descarte e elaborem planos para regularizar a destinação final adequada dos seus resíduos. O não cumprimento dessa lei está associado a penalizações que podem ir desde o pagamento de multas até detenção. Sendo assim, este é um outro motivo para começar a reutilizar os resíduos da indústria têxtil.

 

Mercado de retalhos e aparas

Existem diversos locais para os quais você pode vender os retalhos e aparas que sobram no fim da confecção. Diversos estabelecimentos, artesãos e empresas de reciclagem utilizam esses resíduos têxteis na sua produção ou na confecção de novos produtos. Esse é um mercado muito rentável, uma vez que muitos desses estabelecimentos acabam tendo que importar de outros países, devido à inadequada destinação e desvalorização dos retalhos no Brasil.

Vários tipos de mercados podem ser citados:

  • produção de barbantes e fios que utilizam os retalhos como principal matéria-prima;
  • empresas de reciclagem que transformam o resíduo em tecido novamente ou em outro produto;
  • fabricação de produtos esportivos, considerando o enchimento dos sacos de pancadas com tecidos descartados;
  • centros automotivos, que utilizam retalhos para limpeza de peças, porque possuem a mesma função na limpeza que aqueles considerados novos;
  • artesãos, os quais podem utilizar retalhos e aparas para fazer bijuterias e objetos de decoração.

Dessa forma, com a venda dos retalhos, há vários benefícios. A indústria têxtil consegue uma renda com os resíduos e os estabelecimentos que dependem da compra de retalhos conseguem adquiri-los. Além disso, a inadequada destinação dos resíduos diminui consideravelmente.

Uma das empresas brasileiras que recebem esses tecidos, que acabariam se tornando resíduos, é conhecida como Banco de Tecido. Os retalhos recebidos são transformados e colocados de volta no mercado. Dessa forma, a empresa colabora para uma cadeia de produção mais sustentável. Logo, é muito válido investir na venda dos retalhos da sua indústria ou confecção.

 

Reaproveitamento no processo produtivo

Uma prática que você também pode adotar é o reaproveitamento dos resíduos no seu próprio processo produtivo. A partir de um processo de reciclagem de tecidos, é possível transformá-los novamente em fios. Assim, você contribui para reduzir os impactos ambientais e diminui o desperdício de tecido no fim da sua produção.

Para uma reciclagem industrial de tecidos adequada, é preciso que haja uma sequência de etapas bem definidas. Primeiramente, há a separação dos retalhos em cor, matéria-prima e comprimento de fibra. Depois, é feita a trituração, deixando os tecidos em pedaços muito pequenos. A próxima etapa é, então, o beneficiamento, onde há a formação de fibras mistas, com a adição de poliéster. Após isso, há a fiação, em que as fibras são transformadas em fios. Por fim, na tecelagem, os fios reciclados são finalmente transformados em tecidos. Caso necessário, há também o tingimento, em que os fios são tingidos com a cor desejada.

Dessa forma, um processo de reciclagem de tecidos pode trazer vários benefícios tanto para as indústrias quanto para o ambiente. Reciclar tecidos faz com que matérias-primas sejam economizadas e contribui para diminuir o despejo de resíduos em aterros sanitários. Por isso, é uma alternativa bastante rentável e sustentável.

 

Moda Sustentável com Resíduos da Indústria Têxtil

Com o objetivo de buscar soluções para tornar o produto cada vez mais próximo do conceito de sustentabilidade, a ideia de moda sustentável vem se desenvolvendo nas indústria têxteis. Esse tipo de moda utiliza materiais recicláveis, como os retalhos, para fabricar os produtos. Por meio disso, consegue atrair os consumidores que se preocupam com a forma como os produtos foram desenvolvidos. Ademais, pelo fato de ser sustentável, é possível e interessante utilizar a estratégia do Marketing Verde.

A moda sustentável engloba práticas menos poluentes e que minimizam o impacto ambiental ao longo da cadeia produtiva. Exemplo disso é o reaproveitamento de materiais na fabricação de roupas. Assim, o uso de tecidos descartados é uma ótima alternativa para garantir os objetivos propostos por esse conceito de moda. Além disso, abrange outros tipos de reciclagem também. O uso de garrafas PET para o desenvolvimento de fibras, por exemplo, é um ótimo caminho para a reciclagem dessas garrafas plásticas e de retalhos. Isso porque as garrafas são recicladas e combinadas com fibras dos tecidos descartados, produzindo outras fibras mais fortes.

Considerando que, para a fabricação desses produtos, são utilizadas técnicas mais artesanais e cuidadosas, há um aumento no preço. No entanto, muitas indústrias vêm aderindo ao processo e possuem resultados satisfatórios. Sendo assim, essa é uma boa área para se investir.

 

Criação de novos materiais

Um termo que vem sendo muito utilizado recentemente é upcycling. Essa é uma técnica que consiste em reutilizar, criativamente, um material que seria descartado e usá-lo para criar algo novo. Tudo isso sem prejudicar a qualidade e a composição original. Tal processo vem sendo muito utilizado por diversas empresas e indústrias durante o processo produtivo. Na indústria têxtil, por exemplo, é uma forma de reutilizar os subprodutos – os retalhos – e diminuir a geração de resíduos.

Existem muitas vantagens e benefícios de se adotar essa prática na sua produção. Uma delas é o fato de ser um processo menos caro, uma vez que as sobras e os materiais descartados custam bem menos que materiais considerados novos. Além disso, é uma prática sustentável, já que, com a reutilização de algum material, não é preciso que os recursos naturais sejam intensamente utilizados mais uma vez. Um exemplo é que fazer uma única camiseta de algodão exige uma quantidade muito grande de água, enquanto usar uma camiseta pré-existente para fazer algo novo, não. 

A marca de roupas e acessórios Cavalera, por exemplo, já colocou à venda uma linha com 50 modelos de bolsas e de carteiras feitas com sacos de cimento. Assim, é possível observar que a criação de novos produtos a partir de antigos é uma ótima alternativa para reutilizar os tecidos descartados da sua produção. Esse processo possibilita a entrada de um negócio sustentável no mercado e demonstra ser uma estratégia de produção eficaz, já que cada vez mais as pessoas estão buscando por empresas e indústrias que adotam práticas sustentáveis.

Conclusão

Com base em todas essas informações, é possível perceber e entender a importância de um desenvolvimento sustentável para uma indústria. Então, a partir de uma profunda análise das alternativas abordadas, você, empresário, consegue obter bons lucros nesse processo. 

É certo que essa transição para a reutilização de resíduos da indústria têxtil não é muito simples. Por isso, você pode investir em uma consultoria especializada. Uma consultoria conseguirá guiá-lo para o melhor uso dos resíduos, correta adequação da sua indústria quanto às normas e, também, desenvolvimento de um processo para reaproveitamento dos retalhos. Com isso, é mais fácil identificar caminhos a serem seguidos, garantindo a qualidade do seu processo produtivo. Gostaria de saber um pouco mais desse processo tão importante para uma indústria têxtil? Quer entender como sua indústria pode se tornar mais sustentável? A Mult Jr pode te ajudar a sanar essas dúvidas. Entre em contato com algum dos nossos consultores!

Deixe uma resposta!

%d blogueiros gostam disto: