Produtos químicos: como armazenar, transportar e manusear?

Por Gabriel Lima

Produtos químicos possuem um papel de destaque na indústria, sendo inerentes ao trabalho de profissionais que atuam em laboratórios de análise, pesquisa e desenvolvimento. No entanto, devido às suas propriedades muitas vezes desconhecidas, tais produtos podem acarretar acidentes originados por reações entre diferentes substâncias incompatíveis, como uma explosão, ou até mesmo a liberação de gases tóxicos e inflamáveis.

Nesse sentido, as principais atividades relacionadas à prevenção de  acidentes envolvendo produtos químicos são armazenamento, manuseio e transporte corretos dessas substâncias. Por isso, é indispensável que profissionais que atuam nessa área tenham conhecimento das normas que regem o trabalho com produtos químicos para a prevenção de acidentes. Então, conheça abaixo as principais normas e dicas para evitar acidentes em laboratórios e indústrias.

Almoxarifado

Diante dos vários riscos inerentes à estocagem e manuseio de produtos químicos, deve-se manter no laboratório apenas uma quantidade mínima. Por exemplo, para reagentes líquidos são indicadas quantidades de 1 a 2 litros, 1 kg para sais não perigosos e apenas alguns gramas para sais reativos ou tóxicos. Em quantidades acima destes valores, deve-se centralizar o armazenamento dos reagentes em um almoxarifado.

No entanto, para uma maior eficiência no armazenamento e menor risco de acidentes no local, deve-se seguir algumas especificações para a construção do almoxarifado:

  • Deve ser construído com pelo menos uma de suas paredes voltadas para o exterior;
  • Possuir janelas na parede voltada para o exterior, além de porta para o acesso do Corpo de Bombeiros;
  • Deve possuir saída de emergência bem localizada e sinalizada;
  • Deve possuir um sistema de exaustão, ao nível do teto para retirada de vapores leves e ao nível do solo para retirada dos vapores mais pesados;
  • Refrigeração ambiental, caso a temperatura ultrapasse 38ºC;
  • Iluminação feita com lâmpadas à prova de explosão;
  • Presença de extintores de incêndio com borrifadores de vasos de areia;
  • Prateleiras espaçadas, com trave no limite frontal para evitar a queda dos frascos.

Produtos químicos incompatíveis

Todo produto químico possui uma classificação de risco. Ela agrupa estes produtos de acordo com suas características químicas, como reatividade, compatibilidade e tipos de reações que a substância provoca. Nesse sentido, algumas classes de substâncias são incompatíveis entre si, ou seja, a reação entre essas substâncias pode gerar eventos indesejados, como por exemplo, explosões e liberação de gases nocivos. Segue abaixo uma tabela de incompatibilidade de acordo com a classe de risco.

Por isso, para um correto armazenamento e manuseio das substâncias, é essencial que seja conhecida a sua classificação.

Laboratório

A Norma Regulamentadora 8, do Ministério do Trabalho e Emprego (NR-8, do MTE), dispõe sobre as especificações para edificações de ambiente de trabalho. Esse documento deve ser consultado para a estruturação de um laboratório. Desta forma, seguem alguns pontos presentes nesta Norma Regulamentadora:

  • O laboratório deve possuir um teto que atenda às necessidades de passagem de tubulações, luminárias, grelhas, isolamento térmico e acústico, estática;
  • O acesso ao prédio deve ocorrer por dois lados ou mais, para o serviço de salvamento do corpo de bombeiros;
  • Deve possuir uma via de acesso adequado para carga e descarga dos veículos, que também servirá como rota de fuga em casos de acidentes;
  • Instalações elétricas com aterramento dentro das normas de segurança com fiação embutida;
  • Deve conter na estrutura do prédio, quadros de distribuição de energia, tomadas e interruptores;
  • A iluminação pode ser convencional desde que esteja acima de 2 metros do piso e seja mantida a uma distância de 1 metro dos produtos.

Sinalização

Em um projeto de segurança de um laboratório ou almoxarifado, a sinalização é umas das primeiras atividades desenvolvidas pelos profissionais responsáveis. O emblema internacional indicando o risco deve ser afixado nas portas de acesso ao laboratório e almoxarifado para restringir o acesso e inibir a entrada de pessoas que não tenham relação direta com o trabalho desenvolvido ali.

Os laboratórios químicos devem seguir as normas de sinalização por cores, que servem para identificação de equipamentos de segurança, delimitação de áreas de risco e canalizações empregadas para a condução de líquidos e gases.

Os sinais de aviso devem possuir as seguintes especificações:

  • Forma triangular;
  • Pictograma negro sobre fundo amarelo, margem negra (a cor amarela deve cobrir pelo menos 0 da superfície da placa).

Dentre as diferentes formas de realizar a sinalização em laboratórios e almoxarifados, segue as principais formas e suas respectivas aplicações:

Sinalização deve ser permanente para:

  • Proibições;
  • Avisos;
  • Obrigações;
  • Meios de salvamento ou de socorro;
  • Equipamento de combate a incêndios;
  • Assinalar recipientes e tubulações;

A sinalização deve ser temporária para:

  • Isolar locais de acidentes;
  • Delimitar áreas de procedimentos de riscos.

Se o grau de eficácia for igual, será necessário optar entre:

  • Uma cor de segurança ou um pictograma para assinalar riscos;
  • Sinais luminosos, acústicos ou comunicações verbais;
  • Uma comunicação verbal ou um sinal gestual.

Algumas formas de sinalização podem ser utilizadas em conjunto:

  • Sinais luminosos e sinais acústicos;
  • Sinais luminosos e comunicação verbal;
  • Sinais gestuais e comunicação verbal.

Sinalização por cores de segurança deve obedecer às seguintes características:

  • Corresponder às especificações definidas pela Norma Brasileira Regulamentadora 6493, da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT, NBR 6493), de outubro de 1994, sobre o uso de cores para a identificação de tubulações, contendo a classificação das cores de segurança pelo sistema Munsell;
  • Serem simples e resistentes;
  • Serem visíveis e compreensíveis;
  • Serem retiradas quando o risco desaparecer.

Manutenção das instalações

Para que as atividades rotineiras dentro de um laboratório ocorram com consciência e maior nível de segurança, é preciso que sigam práticas de trabalho que previnam acidentes. Desta forma, é importante que existam procedimento e práticas padronizadas para a execução das atividades rotineiras dentro do laboratório. Nesse sentido, segue algumas dicas de boas práticas para o dia-a-dia de um laboratório:

  1. As áreas de trabalho, bem como as áreas de circulação e passagem dos laboratórios, devem estar limpas e livres de obstruções.
  2. Não se devem usar escadas e saguões para estocagem de materiais ou equipamentos de laboratório. Isto se aplica também a equipamentos de uso pessoal (por exemplo, bicicletas, rádios, etc.).
  3. Os acessos aos equipamentos e saídas de emergência nunca devem estar bloqueados.
  4. Os equipamentos e os reagentes químicos devem ser estocados de forma apropriada.
  5. Reagentes derramados devem ser limpos imediatamente de maneira segura.
  6. Os materiais descartados devem ser colocados nos locais adequados e etiquetados.
  7. Materiais usados ou não etiquetados não devem ser acumulados no interior do laboratório. Eles devem ser descartados imediatamente após sua identificação, seguindo os métodos adequados para descarte de material de laboratório.

Os produtos químicos são componentes essenciais em nossa sociedade. Contudo, como exposto nos tópicos acima, são substâncias que necessitam de cuidado e atenção quanto ao seu manuseio, transporte e armazenamento. Falhas envolvendo essas atividades podem gerar acidentes ambientais e até mesmo fatais para as pessoas que estiverem trabalhando com o produto em questão.

Desta forma, é importante que se realize uma consultoria especializada para garantir a segurança operacional dentro da sua empresa. Quer saber  como lidar com produtos químicos na sua empresa? Entre em contato conosco!

Deixe uma resposta!

%d blogueiros gostam disto: