Saiba como produzir alimentos congelados

Por Isabela Ramos e Pedro Cabral

A busca por praticidade e rapidez leva um número cada vez maior de brasileiros a consumir produtos congelados. Assim, a facilidade do preparo e a possibilidade de armazenamento do produto para consumo posterior contribuem muito para o crescimento desse setor. Conforme comprovado pelo estudo Consumer Watch Express Shopper, da Kantar Worldpanel, em média, 61% dos consumidores no Brasil optam por consumir alimentos congelados.

Dessa maneira, é possível perceber que o investimento nesse tipo de mercadoria constitui uma ótima oportunidade de crescimento ou mesmo inserção no mercado, seguindo-se os passos para o desenvolvimento de um novo produto alimentício. Esse destaque se deve à eficiência do congelamento como método de conservação. Quando o alimento é levado a uma temperatura baixíssima, todo o crescimento de micro-organismos e o processo de deterioração são retardados. Para o investimento nesse ramo, alguns fatores devem ser considerados, e eles estão listados abaixo.

1) O que são alimentos congelados?

Alimentos congelados são aqueles que passaram pelo processo de modificação de seu estado, por meio retirada de calor. Essa mudança ocorre a uma temperatura de -18°C e resulta na cristalização da água existente. Esses produtos oferecem resistência ao crescimento microbiano e, dessa forma, podem ser preservados por um período maior de tempo, se comparados aos alimentos comuns.

Segundo a CNAE (Classificação Nacional de Atividades Econômicas), a produção dessa categoria pode ser definida como a fabricação de pratos e alimentos prontos, e compreende:

A preparação de pratos prontos congelados à base de carnes, aves, peixes e vegetais;

A produção de pratos prontos congelados à base de massas;

A fabricação de sobremesas prontas para consumo;

A fabricação de salgadinhos congelados.

2) Em quais produtos investir?                                                                           

A produção de congelados engloba uma grande diversidade de possibilidades de investimento, sendo que esse mercado segue, na atualidade, algumas tendências. Um bom exemplo disso é o consumo de alimentos que contêm a menor quantidade de substâncias nocivas à saúde e o menor grau de processamento. Assim, a fabricação de congelados que se enquadrem nessa categoria mais saudável é uma boa aposta.

Além disso, existem os setores mais tradicionais, que incluem mercadorias comuns que encontramos nos mercados diariamente. Apesar de existir uma grande variedade de gêneros que podem ser fabricados, é recomendável a especialização em um ou dois. Essa indicação é feita para que a produção não exija investimentos muito elevados. A seguir, estão listados alguns itens comuns em termos de congelamento e nos quais é válido investir, segundo o SEBRAE MG (Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Minas Gerais).

–   Salgados diversos

–   Pratos prontos

–   Massas diversas

–   Strogonoff

–   Tortas folheadas

3) Processo de congelamento e métodos

Os métodos mais comuns de congelamento empregados são :

–   Congelamento à base de nitrogênio : Utilizado na produção em grande escala, confere rapidez ao processo e os alimentos ficam com uma aparência mais natural. É empregado uma câmara frigorífica, que retira rapidamente o calor do alimento.

–   Congelamento à base de criogênicos: Empregado na produção em baixa escala; utiliza armários, que possuem placas de congelamento em cada prateleira. Assim, os alimentos entram em contato com o frio rapidamente. Esse método é realizado em temperaturas muito baixas e permite o cumprimento das mais rigorosas exigências dos processos de cozinhar-congelar.

4) Produção de alimentos congelados

Para assegurar a qualidade do produto congelado, o primeiro passo é garantir boas matérias-primas. Dessa forma, a escolha de fornecedores idôneos e a higienização dos ingredientes são boas práticas de fabricação, muito valorizadas pelo mercado consumidor.

A utilização de equipamentos depende do método de congelamento, da escala de produção e do alimento produzido. Freezers comuns, ultra-congeladores ou até mesmo túneis criogênicos podem ser a melhor escolha para o seu negócio. Ainda assim, a instalação do maquinário pode demandar expansão física e estrutural da unidade fabril. Ainda é necessário assegurar que seus funcionários estejam preparados para lidar com o processo de congelamento. Para entender melhor, confira também outras 5 formas de melhorar a produção de alimentos na sua fábrica.

5) Armazenamento e embalagem

Após o congelamento do alimento, é importante garantir que ele seja armazenado corretamente em câmaras frias, ou freezers, seguindo a ordem: “o primeiro que entra é o primeiro que sai”. É recomendado que se deixe espaços livres entre os produtos para que o ar frio circule.

A embalagem do alimento deve ser resistente e impermeável a ar, a umidade e a odores. Assim, alguns diferentes materiais de embalagem podem ser utilizados, como isopor, plástico e alumínio, entre outros. Saiba aqui como escolher a embalagem ideal para o seu produto alimentício. Deve-se atentar também para o rótulo da embalagem, uma vez que existem várias normas sobre esse assunto.

6) Rotulagem

A rotulagem do produto alimentício congelado deve atender às normas do Ministério da Agricultura (MAPA) e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Segundo essas normas, os rótulos de alimentos congelados devem apresentar, próximo à designação do produto, a expressão “congelado”.

Além disso, é necessário apresentar dados de sua empresa, como endereço, CNPJ, registro, além de informações específicas do produto, como ingredientes, tabela nutricional, data de fabricação e validade, modo de preparo e o código de barras. Aprenda ainda mais sobre a rotulagem de alimentos nesse outro texto.

7) Comercialização

A etapa de comercialização se destaca por sua importância financeira no processo produtivo. Por isso, é importante desenhar bem sua estratégia de mercado. O produtor pode optar por lançar seus produtos por meio de uma marca própria, ou por outros empreendimentos, como padarias e supermercados.

Lançar um produto em marca própria te trará mais independência sobre a comercialização. Entretanto, serão necessários maiores gastos com marketing, por exemplo. Confira aqui 3 passos para lançar um novo produto no mercado. Caso opte por lançar o produto por meio de um empreendimento externo, o produtor será beneficiado pela estrutura, nome e fama de outra marca. Todavia, será necessário deslocar um funcionário para verificar as condições de venda dos alimentos.

“Conveniência e praticidade”, é isso que o consumidor moderno procura, revela a pesquisa Nacional Fiesp/Ibope Brasil Food Trends 2020. Nesse sentido, em decorrência do estilo de vida frenético e cada vez mais atarefado do brasileiro, produtos que prometem poupar tempo tem encontrado um mercado extremamente receptivo. Nesse ambiente, a procura por alimentos congelados, principalmente aqueles considerados saudáveis, tem crescido de forma notável nos últimos anos. Desse modo, o investimento no nicho dos congelados tem se tornado uma tendência promissora.

Os produtores alimentícios que quiserem, portanto, aproveitar este bom momento encontrarão opções diversas com relação aos processos de congelamento e aos equipamentos disponíveis no mercado. Dessa forma, decisões importantes quanto a embalagem do produto, o armazenamento e o escoamento da produção deverão ser cautelosamente tomadas para garantir a qualidade do alimento comercializado e seu sucesso nas vendas.

Nesse cenário, a contratação de uma consultoria especializada é uma excelente opção para que os desafios técnicos e de mercado sejam superados e a tendência dos congelados seja aproveitada. Entre em contato conosco. Nós da Mult Jr podemos te ajudar!

Deixe uma resposta!

%d blogueiros gostam disto: