O Futuro dos Plásticos: os Bioplásticos

Por Clarissa Braga

A grande maioria dos plásticos produzidos atualmente são derivados de fontes não renováveis, como o petróleo, sendo que seu processo de extração e seu refinamento poluem excessivamente o meio ambiente. Além disso, muitos dos plásticos utilizados não são biodegradáveis, o que contribui mais ainda para a poluição mundial.

Nesse contexto, um material em ascensão são os bioplásticos, tendo em vista a sustentabilidade, tanto econômica, quanto ambiental. Por isso, os bioplásticos são plásticos produzidos com materiais naturais e renováveis, como cana-de-açúcar, milho, batata e outros tipos de biomassa, podendo ser biodegradáveis ou não. Plásticos produzidos a partir de fontes não renováveis também podem ser considerados bioplásticos, desde que sejam biodegradáveis. 

Atualmente, o mercado de bioplásticos representa 1% do mercado de plásticos, com grande potencial de crescimento. De 2009 a 2016, já se observou uma taxa de 50% de crescimento nesse novo ramo de plásticos em ascensão. Isso aponta o mercado de plásticos verdes como uma boa oportunidade de investimento.

Bioplásticos mais comuns

Os bioplásticos podem ser produzidos a partir de uma grande variedades de materiais, como plantas, lixo orgânico, algas e pela fermentação de bactérias. 

O polietileno, por exemplo, é o plástico mais utilizado mundialmente, sendo majoritariamente feito a partir de petróleo. O polietileno pode ser um bioplástico se for produzido a partir de cana-de-açúcar. Isso é extremamente é viável, tendo em vista que o Brasil é um grande produtor de cana-de-açúcar. Além disso, o polietileno produzido com petróleo e o produzido com cana-de-açúcar têm as mesmas características físicas, mecânicas e visuais. Nesse contexto, o biopolietileno apresenta grande mercado consumidor.

Outro bioplástico com grande potencial é o bioplástico de polibutileno tereftalato adipato (PBAT). Ele é derivado do petróleo, no entanto, é considerado um bioplástico pois é biodegradável. Com isso, o PBAT é um ótimo candidato para produzir de sacolas biodegradáveis, tendo propriedades mecânicas ideais para esse fim.

Como são feitos?

A produção de bioplásticos envolve 3 etapas de produção, sendo que elas podem ser divididas entre diferentes indústrias. O primeiro passo é a extração da matéria-prima e sua conversão a monômeros, as moléculas que se juntarão e formarão o plástico. Por exemplo, na produção de plásticos com cana-de-açúcar, nessa etapa, é produzido etanol e a partir da cana. Depois, ele é convertido a eteno, o monômero do polietileno.

Em seguida, a segunda etapa trata-se da polimerização, na qual os monômeros irão se juntar e formar resinas plásticas. A terceira etapa é a atuação de uma indústria de 3ª geração, a qual dará cor e forma aos bioplásticos. 

Traçar precisamente essas etapas da produção e planejar as reações químicas do processo é essencial para a qualidade do produto final. Por isso é necessário que haja um planejamento industrial feito por especialistas, fazendo com que o processo produtivo seja traçado de modo assertivo. 

Vantagens e desvantagens

Produzir ou utilizar bioplásticos é uma ótima alternativa para empresas que buscam atender a uma demanda mais sustentável. Além disso, esses materiais são uma alternativa à variação dos preços do combustíveis fósseis. Isso porque os plásticos biobaseados não apresentam recursos não renováveis em sua composição. Com isso, variações no preço do petróleo não afetam diretamente o custo da produção. 

No entanto, quando comparado com o plástico convencional, o custo de produção dos bioplásticos revela-se maior em sua maioria, pois o mercado já está acostumado à produção de plástico comum.

Porém, o investimento em pesquisa e desenvolvimento na área de plásticos verdes projeta avanços tecnológicos que possibilitariam a redução nos custos de produção. Segundo a European Bioplastics, foi percebida uma queda nos preços dos bioplásticos nas últimas décadas. Essa queda se deve ao aumento da capacidade produtiva e da eficiência dos processos. Portanto, com o investimento em pesquisa e desenvolvimento de bioplásticos, projeta-se uma diminuição de custos na produção de bioplásticos.

Como investir nesse mercado?

O mercado de bioplásticos ainda não tem grande maturidade atualmente. Dessa forma, é necessário avaliar as tecnologias que proporcionarão a produção viável desse novo produto. Além de analisar os espaços, maquinários e processos produtivos necessário ao início deste negócio.

Tendo isso em vista, considere contratar uma consultoria especializada para te ajudar nessa fase do planejamento. Com certeza você será mais assertivo e iniciará sua produção com alto grau de qualidade. Se você precisa conhecer melhor o caminho para começar sua produção de bioplásticos, converse com um de nossos consultores. Com certeza eles poderão te ajudar! 

Deixe uma resposta!

%d blogueiros gostam disto: