Vale a pena investir no meu novo produto alimentício?

Pessoas numa mesa redonda de madeira com papeis, discutindo sobre novas ideias

Após 2 anos de retração, provocada pela crise econômica que dificultou a vida de muitos brasileiros, o mercado de alimentos voltou a avançar no Brasil. O crescimento acelerado desse setor sinaliza a possibilidade de um desenvolvimento ainda mais vigoroso nos próximos anos.  De acordo com o Relatório Anual da Associação Brasileira das Indústrias de Alimentos (ABIA), a indústria da alimentação cresceu 4,6% em 2017, atingindo a cifra de R$ 642 bilhões, cerca de 9,8% do PIB (Produto Interno Bruto) do país. As estatísticas apontam e não há como negar: nesse cenário, investir em um novo produto alimentício pode ser um verdadeiro caminho para o sucesso. Embora o cenário se mostre otimista, esse caminho ainda tem seus desafios.

Vivemos na era da globalização, na qual a concorrência é, muitas vezes, massacrante. Os elevados padrões de exigência dos consumidores requerem atenção constante por parte de quem deseja realizar o sonho de empreender. Para suprir os anseios de um mercado de alimentos cada vez mais competitivo e ávido por novidade, a inovação em produtos e processos é uma necessidade real e urgente.

Mas, antes de direcionar todos os seus recursos e tempo para a produção de um novo produto alimentício, é essencial tomar conhecimento da viabilidade real do produto, evitando desperdícios e frustrações. Dessa forma, há algumas perguntas importantíssimas que você deve ser capaz de responder antes de iniciar, de fato, seu investimento:

Existem produtos similares no mercado?

estante da área de bebidas de um supermercado contendo diversos produtos semelhantes com embalagens diferentes

Antes de tomar qualquer decisão a respeito do produto, é necessário descobrir se já existe algo similar disponível no mercado. Se existir, é de suma importância coletar informações como preço cobrado, ingredientes utilizados, marcas, prazos de validade, pontos de venda, dentre outras. Assim, você será capaz de formar um panorama sólido a respeito do mercado disponível para o seu novo produto alimentício. Além disso, ter conhecimento sobre esses detalhes auxiliará a nortear o processo de criação para torná-lo competitivo.

Quais são os principais ingredientes e aditivos usados?

novo produto alimentício - recipientes de tamanhos semelhantes, uma garrafa de azeite, representando ingredientes para um produto

Tendo em mãos um panorama sobre o mercado, é imprescindível listar os ingredientes encontrados e determinar as suas funções. Quais características esses ingredientes conferem? Quais destes são importantes na formulação do seu produto?

Deve-se, ainda, ter em mente a regulamentação da Anvisa, essencial para o uso correto e responsável dos ingredientes e aditivos.

Como é o processo de produção?

grãos de café em um recipiente com pá de mistura - processo produtivo

O processo produtivo é o coração de qualquer investimento. Ele é o responsável por grande parte dos gastos e também pelas principais características do produto final. Por isso, é essencial fazer um levantamento dos principais processos já existentes, dos equipamentos necessários, preços e disponibilidade desses maquinários. Dessa forma, você poderá analisar o processo que mais se adeque ao seu produto e ao orçamento.

Qual a disponibilidade dos ingredientes no mercado brasileiro?

pessoas com documentos e notebook, analisando dados de pesquisa na internet. Representando pesquisa de ingredientes para novos produtos alimenticios

Além do processo produtivo, é fundamental conhecer também a disponibilidade dos ingredientes no mercado. Utilizar compostos muito caros ou de difícil obtenção pode ser um grande obstáculo na estruturação do seu novo produto alimentício. É necessário, então, pesquisar fornecedores dos ingredientes e aditivos utilizados, assim como os preços e a qualidade. Cabe relacionar, ainda, a importância do ingrediente com a sua viabilidade de obtenção.

Qual o preço mais condizente a ser cobrado pelo meu novo produto alimentício?

pessoa passando cartão azul em uma máquina

Feita a análise dos ingredientes, do processo produtivo e do mercado, chegamos ao momento de definir o preço que será cobrado pelo produto. Nesse ponto, as variáveis a serem consideradas são muitas: o preço de produtos similares, o custo de produção, o lucro almejado, o valor associado ao seu produto, os anseios do consumidor alvo. Dessa forma, é imprescindível elencar todos os detalhes estudados até então para definir um preço justo e coerente.

Como podemos ver, passar por todos os 5 pontos acima é imprescindível para uma análise completa da viabilidade. Ao estruturar seu sonho dessa forma, pensando em tudo que tange o desenvolvimento desses produto, as chances de torná-lo realidade aumentam significativamente!

Deixe uma resposta!

%d blogueiros gostam disto: