Como montar uma indústria de óleos essenciais

Por Ana Luiza Bobadilla

Óleos essenciais são substâncias muito concentradas e voláteis extraídas de flores, frutos, sementes, folhas e outras partes das plantas. Esses óleos possuem grande importância comercial e são empregados nas indústrias de perfumaria, cosmética, alimentícia e farmacêutica. A indústria de cosméticos cresceu 10,9% na última década. E o mercado de estética tem apresentado crescimento de 30% ao ano no país. Assim, a produção de óleos essenciais destaca-se como um ramo muito promissor. Mas como você pode, então, começar a sua indústria de óleos essenciais?

 

Um bom planejamento é a alma do negócio

Com certeza você já ouviu dizer que planejamento é essencial quando deseja-se iniciar um novo negócio. Isso não só está correto, como deve ser seguido à risca por quem deseja aventurar-se por novos setores produtivos.

Primeiramente, é essencial que você estude o mercado de óleos essenciais na região em que deseja investir, buscando informações como possíveis produtores, compradores e fornecedores do produto. Além disso, deve ser feito um bom planejamento para definir a localização de sua fábrica. Nesse quesito, é importante considerar a disponibilidade de matéria-prima, a existência de água em boa qualidade e quantidade, a facilidade de acesso por vias públicas, a proximidade dos centros consumidores, o acesso à mão de obra qualificada, dentre outros fatores.

O estudo das normas é, também, essencial para um bom planejamento do seu negócio. Você deve procurar se informar a respeito das leis, decretos e órgãos reguladores da produção e comercialização de óleos essenciais, tomando conhecimento das medidas legais necessárias para iniciar sua indústria.

 

A estrutura da fábrica

A estrutura básica da sua indústria de óleos essenciais deve possuir uma área total de cerca de 500m². Essa área deve conter o galpão de produção, o escritório e as áreas de apoio.

O galpão de produção inclui espaço para a recepção, limpeza e armazenagem da matéria-prima, área de extração, depósito de embalagens e armazenamento do produto final. Alguns requisitos devem ser seguidos na construção, como o grau de  incidência de luz natural e a capacidade de escoamento dos efluentes gerados.

A área externa deve ter vias pavimentadas para passagem de veículos de carga. Já no escritório, ficarão os trabalhadores administrativos, registros e arquivos da indústria. Por fim, o laboratório deve ser capaz de realizar as avaliações necessárias e identificar o grau de pureza do óleo produzido. Dessa forma, a estruturação da fábrica deve levar em conta diversos fatores a fim de acomodar corretamente o processo produtivo.

 

Os equipamentos que movem a indústria de óleos essenciais

Os equipamentos são parte essencial da indústria, eles que dão continuidade à produção do óleo. Esses equipamentos podem variar, de acordo com o porte da fábrica, matéria prima utilizada, tamanho de produção desejado e processo de extração escolhido. Os aparelhos mais comuns são cozedor ou dornas – um tipo de caldeira geradora de vapor onde colocam-se as partes da planta – , condensador, tanque de armazenagem e triturador.

O local da produção deve ser capaz de abrigar os equipamentos necessários para o processo de extração do óleo e para o tratamento dos efluentes. Sendo assim,  sua disposição no espaço interno, ou o que chamamos de layout industrial, é extremamente importante para o bom funcionamento da fábrica. Ele deve obedecer ao fluxo do processo, evitando a contaminação do produto e otimizando a execução das diversas etapas envolvidas.

 

A matéria prima e a mercadoria final

 

A matéria-prima utilizada na extração de óleos essenciais é bastante diversificada, englobando várias espécies de plantas. Esses óleos, além de estarem presentes em diferentes plantas, também podem ser extraídos de várias partes da mesma planta. Contudo, o interesse comercial na extração também varia conforme o preço de venda do produto e o custo de extração. No Brasil, por exemplo, o eucalipto ocupa uma posição de destaque no setor. No entanto, inúmeros outros vegetais podem ser utilizados, como o alecrim, o boldo-do-reino e a alfavaca.

Além da matéria prima, a gestão da mercadoria final é de suma importância para um bom funcionamento do negócio. Nesse quesito, é fundamental buscar sempre um equilíbrio entre a oferta e a demanda, a partir do gerenciamento dos estoques. Esse equilíbrio deve ser sistematicamente medido através de parâmetros de desempenho, como o giro dos estoques, a cobertura dos estoques e o estoque mínimo.  

Organizando o processo produtivo

É essencial, ainda, que você realize um mapeamento dos processos industriais presentes na sua fábrica, a fim de identificar, priorizar e entender problemas, até mesmo antes de ocorrerem. Na produção de óleos essenciais, as principais etapas são:

  1. Produção: depende do processo de extração utilizado e inclui desde a  armazenagem e limpeza da matéria-prima até a embalagem do produto final.
  2. Controle da produção e qualidade do produto: tem como objetivo garantir a extração adequada do óleo e classificar o índice de pureza do produto final.
  3. Serviços administrativos: inclui o controle das atividades de produção, comércio e gestão do negócio.
  4. Vendas e atendimento ao cliente: responsável pelo primeiro contato com o cliente e entendimento de suas necessidades.
  5. Expedição: muito associado ao bom atendimento ao cliente, objetiva planejar as rotas de entrega e a estrutura para atender o consumidor no tempo desejado.

Um bom entendimento e planejamento dessas etapas garante o sucesso e a otimização  da fábrica.

 

O investimento necessário

O valor que você gastará para instalação de sua indústria de óleos essenciais variará bastante de acordo com alguns fatores. Por exemplo, a localização, a estrutura e os equipamentos usados em sua produção. Dessa forma, é importante que você tenha um Plano de Negócio bem embasado. Nele, os recursos necessários e objetivos poderão ser determinados de acordo com suas possibilidades.

Finalmente, os óleos essenciais são promissores no mercado atual. Portanto, investir em montar sua própria fábrica, pode ser um verdadeiro caminho para o sucesso. No entanto, muitos pontos devem ser considerados para garantir um bom funcionamento do seu negócio. Alguns deles são conhecimento do mercado, planejamento e organização do processo produtivo, estruturação da fábrica, seleção dos equipamentos e gestão da matéria prima e da mercadoria final.

Muitas vezes, esses aspectos não são simples de serem definidos e avaliados corretamente. Por isso, é muito vantajoso e seguro contar com o auxílio de uma consultoria especializada, que garanta o melhor caminho para concretização dos seus sonhos.

 

Nós da Mult Jr possuímos um pacote de serviços especialmente voltado para atender as necessidades de quem deseja inovar. Entre em contato com algum de nossos consultores e invista no seu negócio!

Deixe uma resposta!

%d blogueiros gostam disto: