4 Maneiras de Reduzir a Emissão de Resíduos na Sua Empresa

Por Vítor Magno
 

Com o rápido crescimento tecnológico e industrial, houve um aumento significativo na geração de produtos e, consequentemente, na geração de resíduos. Esse acontecimento apresentou um grande impacto ambiental negativo, que por sua vez tornou necessário o surgimento de leis regulamentadoras. Não só isso, como também mobilizou uma mudança de atitude por parte de grandes empresas.

De acordo com a Política Nacional de Resíduos Sólidos, a primeira prioridade na gestão de resíduos é a não geração deles. Isso é praticamente impossível no ramo de trabalho de algumas indústrias, o que leva à consideração da segunda prioridade, a redução. Reduzir a emissão de resíduos de maneira adequada é de suma importância para a preservação do meio ambiente e é uma atitude que pode ser facilmente tomada. A seguir serão apresentadas algumas formas de fazer isto na sua empresa.

Estudo da matéria prima

Todo processo industrial funciona a partir de uma lógica básica: a matéria prima passa por um processo e se transforma no produto desejado. Com base nisso, é fácil perceber a importância da escolha adequada da matéria prima. Quanto mais pura ela for, menos resíduos serão gerados, pois o rendimento da reação será maior.

Além disso, uma fonte com maior pureza reduz os gastos necessários em etapas de preparo e purificação, sendo significativamente vantajosa. Portanto, um estudo adequado sobre a melhor forma de usar a matéria é essencial para reduzir a emissão de resíduos.

Manutenção do maquinário

Essa sugestão funciona à partir do mesmo princípio da anterior; a manutenção constante dos equipamentos evita desperdícios e aumenta o rendimento das reações químicas, diminuindo então a quantidade de resíduos produzidos em algum procedimento.

Novamente, a inspeção e correção do maquinário também diminuem os gastos, pois reduzem riscos. Essas são mais baratas que o conserto de um grande defeito e auxiliam na localização de falhas em pontos específicos da produção.

Reutilização

Mantendo a lógica de observar os três principais pontos de atuação, essa sugestão atua próxima aos produtos gerados. Muito do que é descartado pode possuir aplicações significativas para uma empresa.

Subproduto é tudo aquilo gerado além do próprio produto desejado. Além disso, o coproduto é quando este subproduto é transformado em algo de valor agregado. A reutilização se baseia justamente em reduzir a emissão de resíduos a partir da sua transformação em coprodutos. Essa prática, além de ser boa ao meio ambiente, também permite criar uma nova fonte de renda para a empresa.

As biorrefinarias atuam desta maneira, por exemplo, na indústria açucareira. A palha que sobra da cana é utilizada para geração de energia em termelétricas; outros subprodutos, como o vinhoto, também pode ser reutilizado. Essa prática de reaproveitamento máximo está sendo cada vez mais aplicada nas grandes indústrias devido à sua viabilidade e ao crescimento dos centros de pesquisa ligados diretamente à empresas. Outro exemplo é a adoção da compostagem, que produz um adubo de alto valor comercial.

Tratamento

Por fim, uma das atitudes mais antigas já adotadas é a de fazer o tratamento dos resíduos, sejam eles sólidos, líquidos ou gasosos. Cada indústria possui um um tipo de emissão diferente. Portanto, é necessário um estudo cuidadoso caso a caso, mas o conceito geral de tratamento é quase sempre aplicável.

Para a maioria dos resíduos é possível realizar uma transformação química ou física que os torne mais seguros ao meio ambiente. Pode-se extrair sólidos, como metais pesados, de efluentes, filtrar partículas de gases, ou fazer uso de biofilmes por exemplo.
Comparada com as outras três sugestões acima, essa é a mais corretiva e menos preventiva de todas. Assim, recomenda-se que seja a última opção, ou uma alternativa enquanto ainda não é possível fazer uso das opções anteriores.

Grandes mudanças estão acontecendo nas empresas, sejam elas novas ou mais antigas, no quesito de cuidados ambientais. Reduzir a emissão de resíduos não é algo complicado por si só, mas exige dedicação, estudo e uma boa administração, e isto está sendo um grande fator de influência no crescimento financeiro e tecnológico das empresas. Essa junção entre crescimento e sustentabilidade é imprescindível e a abordagem do futuro, merecendo atenção significativa.

Deseja reduzir a emissão de resíduos sólidos da sua empresa? Entre em contato com a gente!

Deixe uma resposta!

%d blogueiros gostam disto: