Como montar uma fábrica de tintas

Latas de tintas coloridas com uma mão segurando um pincel sobre elas

As tintas são utilizadas para decorar e dar cor aos objetos, mas essas são apenas algumas de suas funções. Elas são substâncias químicas pigmentadas que conferem acabamento, cor e proteção às superfícies. Além disso, podem ser aplicáveis em produções de arte, sinalizações, para absorver calor e refletir a luz. A associação dessa diversidade de funções e outros fatores da economia favoreceram o crescimento do setor nos últimos anos. Mas como você pode montar sua fábrica de tintas? É isso que vamos te contar a seguir.

Planejar é essencial 

Ao iniciar um negócio é muito importante conhecer o setor em que você deseja se aventurar. O primeiro passo é estudar o mercado de tintas na região em que pretende investir. Ou seja, busque informações sobre outros produtores, fornecedores de matérias primas e consumidores.

Nessa etapa é importante realizar o planejamento dos rumos do empreendimento. Leve em consideração qual público deseja alcançar e qual o volume deseja produzir. Essas questões serão muito relevantes para definição do local em que sua fábrica de tintas será construída. Considere também a possibilidade de expansão, a disponibilidade de serviços, recursos, matérias-primas e outros fatores ao definir a localização da sua fábrica. 

Realize o mapeamento do processo de produção e estude as normas de regulamentação. Isto é, informe-se a respeito das leis e requisitos legais necessários para que sua fábrica possa entrar em funcionamento. Existe uma série de registros que devem ser realizados antes do início das atividades. Por fim, ao realizar essas etapas você poderá definir qual será a melhor estrutura para sua fábrica.

Ícone que representa uma lata de tinta ao lado de um pincel

Estrutura da sua fábrica de tintas

A estrutura irá variar de acordo com definições realizadas na etapa de planejamento. No entanto, uma fábrica de tintas deve contar com ao menos 80 m². Assim, esse espaço poderá será dividido regiões de administração, produção,  laboratório e armazenagem.

Na administração ocorrerá a recepção de clientes, realização de vendas e o gerenciamento da fábrica de tintas como um todo. Na área de produção as tintas serão produzidas e amostras serão encaminhadas aos laboratórios. Esses, por sua vez, irão assegurar o controle de qualidade das tintas. Por fim, temos as regiões de armazenagem das matérias primas e das tintas finalizadas. 

Vale ressaltar que a fábrica deverá apresentar uma circulação de ar e iluminação adequadas. Ela deverá possuir saídas de emergência bem sinalizadas e sistemas de exaustão para remoção de vapores. Além disso, é importante que o trânsito entre os ambientes seja fácil e agradável para os funcionários e clientes.

E quais são os equipamentos necessários?

Assim como a estrutura, a escolha dos equipamentos será realizada considerando diversos fatores, como porte da fábrica, matéria prima utilizada, custo e espaço disponível para sua instalação. Porém, existem alguns equipamentos que geralmente são encontrados em uma fábrica de tintas. Por exemplo, tanques de diluição, balanças para materiais líquidos, misturadores, tanques para secagem e ajustes finais. 

Mas tão importante quanto saber quais são os equipamentos necessários, é saber como realizar a disposição deles no espaço. Esse mapeamento é também conhecido como layout industrial e sua elaboração proporciona diversos benefícios. Alguns desses benefícios são a otimização do processo e do fluxo produtivo da sua fábrica de tintas. Além disso, o planejamento e execução do layout, reduzirá os custos e os riscos de contaminação dos produtos.

Da matéria-prima ao produto final

Resinas, pigmentos, solventes e aditivos são algumas das matérias-primas necessárias a um fábrica de tintas. No entanto, ao buscarmos por esses e outros insumos auxiliares, encontramos uma imensa variedade de produtos disponíveis no mercado. Vale ressaltar que alguns podem ser tóxicos, requerendo tratamentos prévios que evitem danos à saúde e ao meio ambiente. Então, ao realizar a compra das matérias-primas é necessário estar atento aos requisitos necessários para sua utilização no processo produtivo. 

É essencial realizar uma pesquisa sobre os melhores fornecedores e identificar quem fornece matérias-primas de maior qualidade a um valor que se adeque aos recursos financeiros disponíveis. Atente-se, também, sobre o estoque de matérias-primas necessário para continuidade da produção. O ideal é que esse não seja grande, mas consiga manter a ocorrência da produção caso algum imprevisto ocorra.

Além disso, a escolha dos fornecedores e da matéria-prima irão influenciar diretamente na qualidade do produto final. Quanto maior a variação da qualidade das matérias-primas, maior a dificuldade em obter um produto com características padronizadas. Dessa forma, o controle de qualidade da produção diminui e a variabilidade entre os lotes aumenta. Isso prejudica muito a confiança dos clientes no produto e na marca, pois a cada lote as características do produto serão diferentes. Portanto, eles nunca saberão se o produto que irão adquirir é realmente o que precisam. 

Ícone preto e branco simbolizando uma fábrica

Um processo organizado é mais produtivo

De acordo com as características da tinta que se deseja produzir, o processo pode sofrer alterações. Entretanto, a fábrica geralmente apresenta quatro etapas de produção: recepção de matérias-primas, produção, controle de qualidade e atendimento ao cliente.

Na primeira etapa as matérias primas são recepcionadas. Então, são realizados alguns testes para avaliar a qualidade dessas substâncias. Caso aprovadas, elas são pesadas e é realizada uma pré-mistura dos pigmentos, aditivos e solventes. Essa segunda etapa já corresponde a fase de produção das tintas. Na sequência, a pré-mistura é moída e passa por diluição e secagem. Aqui, a tinta já encontra-se quase pronta para uso e  são realizadas apenas algumas correções de cor e brilho.

Na etapa de controle de qualidade são feitos testes e análises de brilho, cor, cobertura, entre outros. Assim, as tintas que possuem os requisitos de qualidade necessários são filtradas e envasadas para comercialização. Por tanto, a etapa de vendas e atendimento ao cliente correspondem às últimas etapas do processo produtivo da fábrica de tintas.

Investimento inicial para sua fábrica de tintas

Assim como todo negócio, é necessário realizar investimentos para iniciar a operação de sua fábrica de tintas. Esse valor deve ser suficiente para dar início a produção e mantê-la até que ela se torne auto-sustentável. O investimento inicial necessário pode variar muito. Ele dependerá da localização, dos custos de matérias-primas e insumos como água, energia elétrica, da estrutura da fábrica, dentre outros. Para se ter uma ideia esse investimento pode ser de R$ 70.000,00 a R$ 500.000,00. Portanto, é importante que sua fábrica de tintas possua um plano de negócios bem estruturado. Assim, os insumos necessários e objetivos podem ser avaliados considerando a sua disponibilidade de recursos financeiros. 

Por fim, o mercado de tintas tem se mostrado bastante promissor, registrando crescimentos constantes e boas estimativas para o próximo ano. Ou seja, é uma excelente forma de investimento. No entanto, construir uma fábrica de tintas requer um bom planejamento, conhecimento do mercado e do processo produtivo. Como não são definições simples de serem feitas, é muito vantajoso contar com a ajuda de uma consultoria especializada.  Ela te dará a segurança necessária para traçar o melhor caminho para construção e expansão do seu negócio.

Agora é com você, dê o próximo passo, entre em contato conosco. Teremos muita satisfação em ajudá-lo a entender a viabilidade de sua ideia, tirá-la do papel com um planejamento da sua indústria e ajudá-lo a realizar o seu sonho.

Deixe uma resposta!

%d blogueiros gostam disto: