Sabe como Lançar seu Molho Caseiro no Mercado? Descubra aqui!

Foto de uma xícara contendo Molho e um alecrim em cima para enfeite

Os molhos são produtos comuns nas refeições dos brasileiros, caracterizados como líquidos espessos utilizados geralmente em pratos salgados para conferir umidade e sabor. De acordo com o Statista, portal online alemão de estatísticas, o segmento de molhos e condimentos tem previsão de crescimento de 7,0% em 2020, sendo sua receita em 2019 estimada para 554 milhões de dólares. Mas como você pode lançar seu molho caseiro no mercado? É isso que vamos te mostrar a seguir.

Para embarcar no bom desempenho desse setor, que é bastante concorrido, o empreendedor precisa fabricar mercadorias diferenciadas. Assim, é interessante apostar nos molhos caseiros, elaborando formulações inovadoras ou mercadorias que sigam uma onda mais natural.

Mesmo se tratando de um segmento promissor, é fundamental saber o que deve ser feito para implementar o produto no comércio. Assim, evitam-se gastos desnecessários com adequações posteriores da produção e o investimento é feito de maneira mais direcionada.

Embalagem de Ketchup 

Planejando seu negócio

Ao iniciar um negócio, é importante que se tenha um planejamento bem estruturado para guiá-lo. Inicialmente, é preciso compreender o comércio de molhos caseiros na região de atuação. Com isso, pode-se direcionar a produção para demandas locais. Nesse sentido, uma pesquisa de mercado é necessária para se identificar características chave dos consumidores, bem como da concorrência. Assim, será possível detectar oportunidades do segmento. Com base neste estudo, no molho que pretende lançar e no quanto pode investir, é hora de definir um público-alvo, bem como o volume de produção desejado.

Além disso, é essencial que se estude as normas que regem a produção de molhos. Esta etapa é necessária para que se invista em maquinários, ingredientes, embalagens e no ambiente de trabalho de maneira assertiva. Assim, evitam-se gastos com adequações tardias da produção à legislação, garantindo produtos de qualidade e o bem-estar do consumidor.

Estrutura da produção de molho caseiro

A estrutura necessária para se produzir molhos depende muito do volume de produção que se espera fabricar. De qualquer forma, é importante que o ambiente esteja de acordo com as normas que o regulamentam. Nesse sentido, é preciso se atentar a detalhes como paredes e piso laváveis e impermeáveis, bem como o uso de telas nas janelas. É fundamental, ainda, que o local tenha água tratada de qualidade, bem como rede de esgoto. Tais aspectos garantem uma fabricação favorável à conservação do produto, garantindo maior qualidade do produto final.

Além disso, devem-se determinar locais adequados para o armazenamento dos ingredientes, bem como do produto final, além de um espaço para o lixo sem contato com a área de processamento. É preciso, ainda, definir um ambiente para o depósito de material de limpeza que não tenha contato com os alimentos. Finalmente, é importante que se tenha um espaço para receber clientes caso se faça vendas também no local de produção.

Definição da matéria-prima para o molho caseiro

Os componentes a serem selecionados variam de acordo com o tipo de molho escolhido, sendo os materiais mais comumente usados alho, cebola, pimenta, sal e ervas. Estes exemplos mostram que os ingredientes são, em sua maioria, perecíveis. Isso impacta na validade do produto final, dificultando a venda em redes que demandam maior durabilidade das mercadorias, como supermercados. Para contornar esta situação, costuma-se fazer uso de conservantes, naturais ou artificiais, de modo a aumentar a vida útil do alimento. 

Existem, ainda, aditivos alimentares usados para alterar outras propriedades dos produtos, adequando-os às demandas do público-alvo. A exemplo, podem ser citados realçadores de sabor e reguladores de acidez. Nesse sentido, é preciso identificar os aditivos ideais para cada tipo de molho e as quantidades a serem usadas.

É necessário, ainda, atentar-se à qualidade dos produtos ofertados pelos fornecedores, juntamente com o preço da matéria prima. Esses fatores afetam na aceitação do produto final, pois insumos de baixa qualidade ou não padronizados resultam em lotes defeituosos, prejudicando a imagem da marca. Além disso, a proximidade entre o local de produção e os fornecedores deve ser considerada. Estabelecimentos mais próximos reduzem custos de transporte e de estocagem, favorecendo, ainda, a duração dos insumos comprados.

Ícone de um pote contendo molho

Do processo produtivo ao produto final

O processo produtivo envolvido na fabricação de molhos caseiros é dependente do volume de produção definido, bem como do tipo de produto a ser produzido. Para compreendê-lo, é essencial que se mapeie os processos a serem realizados, levando em consideração as normas identificadas. Assim, devem-se padronizar as etapas realizadas, minimizando variações que impactam no produto final, como a quantidade de insumos por porção. A não padronização faz com que o cliente não saiba o que vai encontrar ao comprar o produto, afetando a credibilidade da marca.

Após a produção do molho, é essencial a realização do envase de acordo com as regulamentações estudadas. Nesse sentido, é importante selecionar a embalagem adequada para o público-alvo, escolhendo aquela que melhor concilie a proteção do produto e sua venda. Finalmente, deve-se adequar a rotulagem às exigências do estabelecimento de venda. A comercialização em supermercados, por exemplo, requer tabela nutricional, código de barras, dentre outros.

Seleção dos equipamentos para a fabricação do molho caseiro

A definição dos maquinários necessários é vinculada ao tipo de produto fabricado e ao volume de produção determinado. Produzir molhos caseiros demanda equipamentos básicos como fogão, processador e balança. Ademais, maquinários como misturador, envasadora, descascador e liquidificador industrial são essenciais para uma produção mais eficiente sem o aumento da mão de obra.  

É importante ressaltar que existem equipamentos mais específicos a serem usados para fabricações de cada molho. Logo, torna-se importante um estudo voltado para sua produção que mapeie os maquinários adequados aos ingredientes selecionados. A disposição dessas máquinas também deve ser avaliada, pois existe uma organização otimizada que permite uma maior eficiência produtiva.

Investimento inicial 

O investimento a ser feito para iniciar a comercialização de seu molho caseiro depende de parâmetros específicos de cada empreendimento. É preciso defini-lo para que se saiba a quantia necessária para iniciar seu empreendimento e em quanto tempo terá lucros. Nesse quesito, existem três fatores mais influentes no investimento inicial a ser feito.

Primeiramente, temos o investimento fixo, envolvendo maquinários, espaço de produção, dentre outros gastos com bens que permitam inaugurar o negócio. Há, ainda, o investimento pré operacional, que abrange gastos antecedentes ao início da atividade da empresa. Isso envolve custos para formalização do negócio, registro da marca, dentre outros. Deve-se contabilizar também o capital de giro, referente à reserva de recursos vital para que o empreendimento continue a rodar. Esse abrange aspectos como salários, fornecedores e pagamento de impostos. 

Como visto acima, são diversas as variáveis implícitas no investimento inicial a ser feito. Logo, é essencial que se tenha todas as etapas anteriormente mencionadas bem estruturadas para que se saiba ao certo quanto aplicar no seu empreendimento.

Conclusão

Analisando os pontos discutidos, percebe-se a importância de um planejamento para que sua produção de molho caseiro seja bem sucedida. É fundamental a realização de uma pesquisa de mercado para o melhor entendimento do ramo de atuação. Além disso, devem-se estudar as normas que regem todas as variáveis da produção de molhos. 

Soma-se a isso a necessidade de se definir a estrutura da fabricação, bem como as matérias primas a serem usadas e seus fornecedores. É preciso, ainda, que se entenda bem o processo produtivo da fábrica e os maquinários e as embalagens demandadas. Assim, o lançamento do molho caseiro será feito de maneira organizada e bem planejada, potencializando seu sucesso. Para isso, recomenda-se o auxílio de uma empresa de consultoria que consiga planejar sua produção de maneira personalizada e eficiente. 

Quer lançar seu molho caseiro no mercado? Entre em contato com a gente para um diagnóstico gratuito!

Deixe uma resposta!

%d blogueiros gostam disto: