Como é feito o batom labial – A Química Nos Cosméticos

O desejo de ter os lábios coloridos já era comum em diversos períodos de tempo. No antigo Egito, em 5000 a.C, as mulheres já utilizavam pigmentos extraídos de algas para dar cor a eles. Já durante o reinado da Rainha Elizabeth I na Inglaterra, no século XVI, pintar os lábios de vermelho utilizando uma mistura de cera de abelha e extratos vermelhos de plantas fazia parte da moda entre as mulheres da classe alta. Tudo isso, até que no século XIX, na França, foi criado o primeiro batom, composto por uma massa de talco, óleo de amêndoas, essências de bergamota e limão, na cor vermelha.

Na atualidade, o batom labial é um dos itens de maquiagem mais utilizado, sendo encontrado no mercado em uma grande variedade de tons, marcas, texturas e formas de aplicação. Entretanto, apesar da popularidade desse cosmético, muitas pessoas desconhecem como é feito batom labial e qual a sua composição. Se esse é o seu caso, a seguir você saberá mais sobre o processo de produção e os ingredientes comuns nos batons. 

 

1 – Matérias-primas: Ceras e óleos

 

Vindos de compostos naturais ou orgânicos, eles são dois dos ingredientes mais básicos do batom labial e estão nele em maiores proporções do que outros componentes como pigmentos e álcoois.

Para as ceras, a combinação mais usada nos batons é a de cera de abelha, de Carnaúba e Candelila. Consideradas como agentes estruturais, todas essas são responsáveis por garantir que a modelagem do batom seja mais fácil. Além disso, as ceras permitem que o formato característico do batom seja mantido. Além disso, elas também estão ligadas a outras propriedades reconhecidas dos batons. Por exemplo, a cera de Carnaúba permite o não derretimento do batom quando exposto ao sol. Já a de Candelila gera o efeito plastificante e a não dissolução do batom na saliva.

Por sua vez, os óleos são fundamentais para dar o brilho ao produto e para a dispersão dos pigmentos. Sendo assim, com óleos, há maior homogeneização da cor do batom. Existem diversos óleos aplicados na formulação de batons labiais. sendo muito comuns os óleos vegetais, de rícino, mineral e lanolina. Dentre esses, o mais usado na produção é o de rícino. Ele é usado devido a, sobretudo, sua alta concentração de hidróxidos. A presença desse tipo de grupo funcional aprimora a capacidade de interação com os pigmentos.

Quimicamente, tanto os óleos e as ceras acabam desempenhando, na maioria das vezes, o papel de emolientes. Ou seja, são substâncias de consistência mais fluida, que deixam o batom labial mais hidratado e de fácil deslize para o uso.

 

2  – Matérias-primas: Pigmentos e Corantes

 

Parte do grupo de ingredientes básicos na formulação do batom labial, é estimado que um percentual de 5% da massa dele sejam de pigmentos e corantes. Quando são combinados, esses componentes são responsáveis pela adição de cor e sombra desejados no produto.

As principais diferenças entre os dois tipos de compostos são a solubilidade e o tipo de cobertura, quando aplicados. Os pigmentos são insolúveis e provocam, simultaneamente, a adição de cor e opacidade. Já os corantes são solúveis e só promovem o tingimento, mantendo a transparência do produto tingido.

Na fórmula dos batons labiais, vários corantes e pigmentos, das mais diferentes formas de extrações, são utilizados. Dentre eles, pode-se citar os mais comuns:

  • Vermelho-carmim, de origem animal (extraído de besouros);
  • Eosina, de origem sintética;
  • Açafrão-da-terra, beterraba, alcanona, calêndula, de origem natural (extraídos de frutas, vegetais, flores, ervas);
  • Dióxido de titânio, óxido de ferro, mica, de origem mineral.

Especificamente, para a Eosina, ela é capaz de reagir com a pele humana, gerando uma cor bem avermelhada. Já sobre o dióxido de titânio, ele é um famoso corante branco, ideal para gerar tons mais claros.

Vale ressaltar a problemática envolvendo a toxicidade dos componentes de origem mineral. Mesmo que os minerais supracitados tenham vestígios de metais, eles ainda são considerados uma alternativa melhor se comparada às cores produzidas de forma sintética a partir de corantes “alcatrão de carvão”. Isso porque esses últimos podem acrescentar metais nocivos ao batom labial.

 

3 – Matérias-primas: Outros ingredientes comuns

 

Além dos ingredientes citados que constituem a composição básica do batom, fragrâncias, conservantes e antioxidantes também são comumente utilizados.

A fragrância é adicionada em pequenas quantidades. Tem como função sobrepor, com o seu cheiro, o odor das outras substâncias utilizadas na confecção do produto. Além disso, você já deve ter se perguntado como aqueles batons de sabores – como uva, morango ou hortelã têm odor e sabor idêntico ao natural. A resposta para essa questão está também na utilização de fragrâncias e aromatizantes nos batons, que são adicionados para conferir o aroma desejado ao produto.  

Os conservantes e antioxidantes são utilizados no batom com o intuito aumentar o seu prazo de validade e evitar que os seus componentes se decomponham. Assim, a cor, o sabor, o cheiro e a textura originais do batom duram mais tempo. Essas substâncias utilizadas para aumentar a durabilidade do batom podem ser naturais, como a vitamina E ou o óleo de nim e canela, ou sintéticas, que têm uma ação conservante maior, a exemplo do formaldeído e de parabenos. É importante ressaltar que os batons devem ser usados apenas dentro do prazo de validade referido em sua embalagem. Caso contrário, o uso do batom com componentes deteriorados pode causar ressecamento e formação de bolhas na boca.

Ademais, outros componentes também podem ser encontrados em alguns batons. A crescente exigência do mercado por inovação, considerando as tendências do mercado de cosméticos, faz com que existam batons com especificidades voltadas para um respectivo objetivo. Por exemplo, com uma atual tendência estética mundial de lábios volumosos, vêm-se utilizando ácido hialurônico em formulações. Essa substância, utilizada em procedimentos de preenchimento labial, dá aspecto instantâneo de volume quando usados. Isso porque ela irá preencher sulcos presentes nos lábios. 

 

4 – Como é feito batom – O processo de manufatura

 

Agora que já sabemos quais são os principais ingredientes utilizados na composição do batom, para tomarmos conhecimento de como é feito batom labial é necessário também que saibamos quais são as etapas envolvidas em sua fabricação industrial.

 

Mistura

Primeiramente, os ingredientes crus do batom são derretidos e misturados separadamente. Assim, formam-se basicamente três misturas: uma mistura de solventes, outra contendo os óleos escolhidos e a outra mistura com a combinação de ceras.  As duas primeiras serão aquelas a serem misturadas aos pigmentos e corantes desejados. Essa nova mescla deverá ser passada, posteriormente, por um moinho de rolos, para moer o pigmento, evitando um aspecto “granulado” no batom. Após a homogeneização desta, ela é adicionada à massa de ceras quente até que todo o conjunto fique consistente e com cor uniforme.

Moldagem

Seguidamente há a moldagem do batom. Ela é feita em temperaturas específicas para eliminar as “marcas de frio”, isto é, produtos indesejados gerados com o resfriamento rápido.  A massa obtida anteriormente será despejada em moldes verticalmente divididos.  Ali, o batom é colocado de forma invertida, ou seja, de modo que o fundo do tubo esteja no topo do molde. Como há risco de formação de bolhas de ar na distribuição da mistura, normalmente,  opta-se por usar moldes que têm leves inclinações. Pode ser feito também a extração à vácuo do ar remanescente.

Flaming

Depois do batom ser resfriado e separado do molde, ele passará pelo flaming. Este procedimento consiste na passagem do batom por algumas tochas de chama aberta que irá produzir uma pequena camada de gloss ao redor do batom. Dessa forma, o batom além de ter um melhor visual, ficará mais protegido contra o ar externo, umidade e calor. Esses fatores podem deixar os batons rançosos e com péssimo aspecto.

Embalagem e Rotulagem

Por fim, o batom segue para a fase de embalagem e rotulagem. Ao ser retirado do molde, o batom é colocado em uma base, geralmente de plástico, e tampado em seguida. Além disso, a maioria das empresas cola uma etiqueta na parte inferior na base do batom. Isso tem com a finalidade a identificação de cor.  As embalagens variam conforme a marca e o tipo de batom. Porém, todas elas devem garantir proteção ao produto para evitar danos durante o seu transporte. Finalmente, no processo de rotulagem, o lote e a data de validade do batom são identificados.

Boas Práticas Na Fabricação 

Para assegurar a qualidade do batom, é necessário que todo o seu processo produtivo esteja de acordo com as boas práticas de fabricação para cosméticos. Dessa forma, a maneira como o batom é feito não interfere na segurança de uso do produto final. Além disso, com boas práticas, a empresa que produz o cosmético permanece regularizada perante os órgãos fiscalizadores.

Conclusão

Agora que você já sabe mais sobre como é feito batom, torna-se evidente que os ingredientes utilizados e a realização adequada do processo de produção são fundamentais para garantir um bom resultado. A combinação correta dos ingredientes e a definição do melhor planejamento industrial são, então, imprescindíveis para a fazer batom labial. Quer saber mais sobre produção de cosméticos? Temos um artigo perfeito pra você aqui.

Deixe uma resposta!

%d blogueiros gostam disto: