3 Dicas para Aumentar a Vida Útil do seu Produto Alimentício

Por Laura Carvalho

Os produtos alimentícios possuem prazos nos quais eles mantêm suas características como textura, odor, sabor, cor e valor nutritivo em uma faixa agradável e segura para o cliente. Esse prazo é chamado vida útil ou tempo de prateleira do alimento. Porém, algumas comidas são mais suscetíveis a possuírem esse tempo reduzido, como sucos, doces, farofas e alguns derivados de leite.

Aumentar a vida útil de um produto é estrategicamente vantajoso para o produtor. Isso porque, quanto mais ele dura, maiores a satisfação dos clientes e a distância passível de comercialização desses produtos.

Atualmente, diversos tipos de alimentos são regulamentados, de forma a necessitar de métodos e períodos de conservação específicos.

Existem vários meios de aumentar o tempo de prateleira, tornando os alimentos seguros por mais tempo; alguns deles serão abordados a seguir.

1- Escolhendo a Embalagem Ideal para o meu Produto

Os alimentos estão sempre expostos a diversos fatores externos que são capazes de alterar suas características. Para garantir a diminuição dessa deterioração, é de suma importância que a escolha da embalagem seja feita de forma adequada. Vale lembrar que cada alimento possui a sua embalagem ideal e que existem tipos de embalagens obrigatórias para certos produtos.

As embalagens funcionam tanto como barreira física entre alimento e meio externo quanto como proteção contra radiações solares e microorganismos. Além disso, quando bem planejadas, elas podem tornar os processos de transporte e venda mais eficientes.

A busca pela embalagem ideal depende de fatores como peso e dimensão do alimento comercializado, onde e como ele será vendido, como será transportado. Dessa forma, uma embalagem mal escolhida é uma oportunidade de aumento de qualidade que se perde.

2- Utilizando Aditivos Conservadores

Aditivos conservadores são substâncias que podem ser adicionadas durante o processo de fabricação dos produtos alimentícios. Esses compostos servem para combater efeitos enzimáticos, de microorganismos e de oxidação.

A oxidação é um processo pelo qual o alimento, por estar em contato com o ar atmosférico, sofre alterações na sua cor, sabor e odor.

Um conservante eficaz deve preservar as qualidades originais do produto, ser atóxico se ingerido e ser eficaz em pequenas doses. Normalmente, eles são muito utilizados em produtos líquidos ou pastosos e em farinhas.

Esses conservantes, em sua maioria, são alternativas baratas para se estender o tempo de prateleira. No entanto, alguns consumidores podem ter preferência por produtos que não abusam dessa técnica.  

É preciso um cuidado maior ao se optar pelos aditivos, uma vez que existem rigorosas legislações que controlam as quantidades e os tipos de substâncias que podem ser utilizados em cada classificação de alimentos. Ademais, é preciso saber a composição do produto e realizar estudos para identificar os fatores que o estão deteriorando, para então escolher o conservante que resolverá o problema.

3- Aderindo às Boas Práticas de Fabricação

As boas práticas de fabricação são um conjunto de condutas de produção que reduzem significativamente o risco de contaminação dos produtos. Além disso, elas aumentam a boa reputação da empresa, garantem qualidade nos processos e demonstram respeito ao consumidor.

Ao padronizar os processos que ocorrem na produção, garante-se uma maior consistência na qualidade dos alimentos. Assim, estudos mais assertivos são favorecidos, os quais podem detectar fatores que estejam prejudicando a duração do produto.

Por lei, toda indústria alimentícia precisa possuir e seguir um “Manual de Boas Práticas de Fabricação”, regulamentado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Esse manual contém, entre outras coisas, descrições do processo produtivo, da higienização dos equipamentos e da matéria prima utilizada. Dessa forma, ele é fundamental para o aumento da vida útil do alimento.

O que Concluir do Aumento de Vida Útil do meu Produto Alimentício?

Para garantir o aumento de vida útil de um alimento, é preciso um profundo conhecimento sobre a composição desse produto e os fatores que afetam a sua longevidade. Apesar de complexo, conseguir esse aumento é uma grande vantagem, resultando em maiores vendas e satisfação dos clientes.

Dessa forma, investir em métodos de conservação e aumento do tempo de prateleira é recomendável, porque pode gerar um retorno positivo e, consequentemente, tornar a empresa mais economicamente saudável. Ademais, isso permite uma presença em maior escala no mercado, permitindo o alcance a novos nichos.

Diante dessa complicada escolha, a contratação de uma consultoria especializada é uma excelente opção para que os desafios técnicos não se tornem um empecilho para a realização do seu sonho.

Então, entre em contato conosco. Nós da Mult Jr podemos te ajudar!

Deixe uma resposta!

%d blogueiros gostam disto: