Alimentos Funcionais: um Mercado Inexplorado

Por Ana Flávia Guedes

Cada vez mais o brasileiro se preocupa com a sua saúde. E, a alimentação é uma das principais formas de se garantir a saúde física e a mental do ser humano. Além disso, uma alimentação equilibrada está fortemente vinculada à prevenção de doenças. Os alimentos funcionais entram nessa tendência de uma alimentação mais saudável e balanceada.

E essa maior preocupação com a saúde pode ser, claramente, visualizada nas prateleiras dos supermercados. Cada vez mais, elas estão sendo ocupadas por alimentos vinculados a uma dieta balanceada. Esse é o caso não só dos alimentos funcionais, mas também dos alimentos orgânicos e dos já consolidados produtos light e diet.

Mas o que são alimentos funcionais? 

De acordo com o Ministério da Saúde, alimentos funcionais são “alimentos ou ingredientes que produzem efeitos benéficos à saúde, além de suas funções nutricionais básicas”. Isso significa que, além do valor nutritivo inerente à sua composição química, os alimentos funcionais também oferecem vários benefícios à saúde.

Tais benefícios podem ser redução da incidência de tipos de câncer ou melhora no funcionamento gastrointestinal. Alguns alimentos funcionais também estão vinculados a ações antioxidantes e a melhoras no sistema imunológico.

Alguns exemplos de alimentos funcionais são: azeite de oliva, tomate seco, alho e peixes. Soja e grãos integrais, leite fermentado, vinho e verduras de folhas verdes também entram nessa lista.

Contudo, é importante sempre ressaltar que os resultados da ingestão de alimentos funcionais somente vão ocorrer quando associados a uma dieta balanceada. Mas o que isso significa na prática? Por exemplo, imagine uma pessoa que está ingerindo alimentos que auxiliam na redução do colesterol, como é o caso da soja. Ela também precisa de uma alimentação que também seja pobre em gorduras saturadas e em colesterol.

Quais são as classificações dos alimentos funcionais?

Os alimentos funcionais podem ser classificados em dois grandes grupos. O primeiro grupo é composto por alimentos que naturalmente contêm um componente que proporciona os benefícios adicionais para o consumidor. Como exemplos, tem-se a soja e seus derivados, que possuem proteínas que reduzem os níveis de colesterol. Outro exemplo são os óleos vegetais, que possuem ácido linolênico, que estimula o sistema imunológico e que tem ação anti-inflamatória.

Já o segundo grupo é composto por alimentos no qual o componente responsável por oferecer benefícios à saúde é adicionado propositalmente. Por exemplo, iogurtes adicionados de probióticos, que favorecem ações gastrointestinais, e sucos ricos em prebióticos, que ativam a microflora intestinal.

Por que é interessante adentrar esse mercado? 

É interessante, porque é um mercado que ainda não foi totalmente explorado, mas que vem apresentando um crescimento exponencial, não só no Brasil, mas no mundo todo.

Um estudo da agência de pesquisas Euromonitor Internacional, mostra que, entre 2009 e 2014, o mercado de alimentos saudáveis cresceu 98% no Brasil, movimentando mais de R$ 90 bilhões (dados de 2016). 

Ainda segundo a  Euromonitor, até o ano de 2021, o mercado de alimentação saudável no Brasil deve crescer, em média, 4,41% ao ano. Isso significa que deve chegar ao ano de 2021 com um volume de vendas de R$ 105 bilhões.

Algumas marcas se aproveitaram do crescimento desse mercado e alavancaram suas vendas. Um exemplo é a empresa paulista de produtos naturais e orgânicos Mãe Terra, comprada pela Unilever, em 2017. Nessa época, o crescimento da empresa era de 30% ao ano e estava avaliada entre 120 e 150 milhões de reais. Criada em 1979, atualmente, essa empresa é líder nesse segmento no Brasil.

E como se preparar para adentrar nesse nicho?

Investir em um mercado como o de alimentos funcionais é muito interessante, como se pode observar. Contudo, caso você esteja considerando entrar nesse ramo ou expandir seu mercado de atuação, alguns cuidados devem ser tomados antes de se inserir nesse novo negócio:

  1. É necessário ter consciência das suas motivações para adentrar esse mercado. É devido a um gosto pessoal por essa área de alimentos mais saudáveis? Ou devido a um desejo de expandir o seu negócio e alavancar suas vendas? Isso é relevante, pois está vinculado à imagem que você irá passar para o seu público; 
  1. É preciso fazer um planejamento do seu negócio. E como fazer isso? Uma pesquisa de mercado e de fornecedores é essencial para construir um negócio em bases sólidas e sustentáveis;
  1. Falando em pesquisa de fornecedores, esse é um assunto que exige bastante atenção quando se trata de alimentos funcionais. Muitas empresas desse ramo dão preferência ao uso de produtos orgânicos. No entanto, a sazonalidade desses produtos é um obstáculo que deve ser analisado e planejado para não afetar as vendas;
  1. É necessário ser fiel à proposta da sua empresa. Caso um traço marcante do negócio que você deseja abrir seja pratos balanceados, é preciso manter a coerência nos seus alimentos. Isso significa alimentos, por exemplo, com um controle nas quantidades de sal e de óleo;
  1. Use a tecnologia a seu favor! Alimentos funcionais não significam alimentos de menor apelo visual ou ao paladar. Na atualidade, existem diversos aditivos que não causam prejuízos à saúde e que melhoram aspectos do produto. Eles podem servir como substitutos de aditivos prejudiciais. Um exemplo é a Betanina, ou Vermelho da Beterraba. Esse aditivo vem sendo utilizado para substituir corantes sintéticos.

Conclusão

Conclui-se, então, que os alimentos funcionais são uma excelente opção para se adentrar no mercado de alimentos saudáveis. Um nicho que vêm apresentando resultados positivos no Brasil  e no restante do mundo nos últimos anos.

No entanto, alguns cuidados devem ser tomados para construir um negócio sustentável e que possa ser competitivo no mercado. Nesse sentido, uma empresa de consultoria pode te auxiliar a dar os primeiros passos nesse objetivo e prevenir resultados negativos no futuro.

Gostou desse texto? Tem interesse de adentrar no mercado de alimentos funcionais? Venha entender um pouco mais porque vale a pena investir em um novo produto alimentício.

Deixe uma resposta!

%d blogueiros gostam disto: